Considere um nuclídeo instável emissor de partículas beta negativas. Essas emissões terão o seguinte efeito sobre o Número Atômico do Nuclídeo e o Número de Massa do Nuclídeo, respcetivamente:


img
ITA IIIT 06/02/2022 16:12
$-$ A priori, essa emissão beta é o processo pelo qual um núcleo instável pode se transformar em outro núcleo, isto claro, mediante a emissão de uma partícula beta, esta que pode ser um elétron ou um pósitron. Por isso, nota-se a importância do enunciado deixar claro a parte $\text{ emissor de partículas beta negativas}$, em que nota-se a emissão de elétrons. Dessa forma, representemos um processo genérico: \begin{matrix} ^A_{Z}X & \rightarrow& ^A_{Z+1}Y + \beta^{-1} \end{matrix} - Repare que, no processo em questão, o número atômico do nuclídeo $\text{aumenta em um}$, e o número de massa do nuclídeo $\text{permanece o mesmo}$. $\color{orangered}{Obs:}$ Além disso, vale ressaltar a transformação que ocorre, o elétron em si não altera o número atômico, mas sim o nêutron, este dá lugar a um próton e emite o elétron. Já no caso da emissão de um pósitron, temos o contrário, um próton dá lugar a um nêutron. \begin{matrix} Letra (A) \end{matrix}
Modo de Edição
0 / 5000